quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

A Humildade -Renato Burity & Voz da Verdade - Pra Que



A Humildade 





Muitos e muitos anos atrás, um homem muito sábio visitava os povoados, realizando os pedidos das pessoas que ele julgava que tinham atuado com justiça e benevolência.


Este homem sábio tinha a faculdade de atender os pedidos de todas as pessoas que se acercavam a ele; por este motivo, numa determinada cidadezinha existia um grande alvoroço.


O sábio chegou no povoado e todos correram até ele, e todos pediam favores, alguns pediam dinheiro, outros pediam saúde, outros namorados ou namoradas e assim cada um fez seu pedido.


E ele foi atendendo na medida do merecimento de cada um deles.


Porém o homem sábio viu no fundo da multidão um rapaz jovem que nada tinha pedido, dirigindo-se a ele lhe disse: e tu nada tens a me pedir, ao qual o jovem respondeu: nada peço porque nada mereço, se algum dia a natureza julgar que mereço algo ela mesma me deverá de proporcionar.


O homem sábio perguntou então: qual é teu nome meu rapaz, e o jovem respondeu com humildade: 

Jesus de Nazaré, Senhor.

http://www.renato.burity.com.br/


Voz da Verdade - Pra Que?


A Mão de Deus - Renato Burity & Uma Nova História - Fernandinho

A Mão de Deus

Um homem saiu em uma viagem de avião, era fervoroso de Deus e sabia que Ele o protegeria durante o percurso.
Quando voavam sobre o mar, um dos motores falhou e o avião se precipitou no oceano.
Quase todos os passageiros morreram, mas o homem conseguiu agarrar-se a alguma coisa que o conservava acima da água. Ficou boiando à deriva muito tempo, até que chegou a uma ilha deserta.
Ao chegar a praia, cansado, porém vivo agradeceu a Deus, por este livramento maravilhoso da morte.
Ele conseguiu alimentar-se de peixes e ervas, conseguiu derrubar algumas árvores e com muito esforço construir uma pequena cabana, não era bem uma casa, mas um abrigo tosco, de paus e folhas, porém significava proteção. Ficou todo satisfeito e novamente agradeceu a Deus, porque agora podia dormir sem medo dos animais selvagens que talvez pudessem existir na ilha.
Um dia, estava pescando e tinha apanhado muitos peixes, assim com comida suficiente estava feliz, e ao voltar para sua casa, qual tamanha não foi a sua decepção, ao ver ela toda incendiada.
Sentou-se em uma pedra e diz aos prantos:
"Meu Deus, como podes deixar que isto aconteça comigo?
Sabes que preciso muito desta casa, para poder-me abrigar e proteger.
Como podes deixar que ela se queime?
Meu Deus, não tens compaixão de mim?"
Nesse momento uma mão lhe tocou seu ombro e ele ouviu uma voz dizendo:
"Vamos rapaz!"
Ele se virou, e qual não foi sua surpresa quando viu a sua frente um marinheiro todo fardado dizendo:
"Vamos rapaz! Viemos te buscar."
"Mas como é possível? Como vocês souberam que eu estava aqui?"
"Ora amigo! Vimos os seus sinais de fumaça pedindo socorro e o capitão ordenou vir lhe buscar naquele barco ali adiante.
Todos foram para o barco e assim o homem pode voltar para seu lar e seres queridos.

http://www.renato.burity.com.br/





                                  Uma nova História  -  Fernandinho

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Amor é fogo Que arde SEM se ver : Luís de Camões & Sarah Brightman - Time To Say Goodbye (Con Te Partiro) (dueto com Andrea Bocelli)


Amor é fogo Que arde SEM se ver
Luís de Camões
 

Amor é fogo Que arde SEM se ver 
E Ferida Que dói e Localidade: Não se Sente
 E hum contentamento descontente
 E dor Que desatina SEM fazedor 
E hum Localidade: Não Querer Mais Que Bem Querer
 E hum andar Solitário Entre a gente
 E Nunca contentar-se de contente 

E hum Cuidar Que se Ganha los se Perder
 E Querer Estar Preso POR Vontade 
E SERVIR a QUEM vence o Vencedor 
E ter com QUEM nn mata Lealdade
 Mas Como causar PODE Seu favor
 Nos Corações Humanos amizade
 Se TÃO Contrário a si E o MESMO de amor?




                            Sarah Brightman - Time To Say Goodbye (Con Te Partiro) (dueto com Andrea Bocelli)


De Os poemas:Mário Quintana & Velha História - Mário Quintana


                                        De Os poemas


Mário Quintana

De Os Poemas São Pássaros Que chegam de: Não se sabe de Onde e pousam no Livro Que Lês.
 When Fechas O Livro, 
enguias ALCAM Vôo Como de hum alçapão. 
ELES nao tem pouso NEM porto; alimentam-se hum Instante los CADA par de Mãos e partem.
 Olhas E, entao, essas Tuas Mãos Vazias, 
não maravilhado espanto de saberes that o Alimento DELES JÁ estava los ti ...


                                                       Velha História - Mário Quintana


quinta-feira, 17 de outubro de 2013

FACE TO FACE - Afonso Estebanez & Natureza e música (Som de passarinhos e cachoeira)


FACE TO FACE


De todos os momentos insondáveis 
mais bonitos da vida de uma mulher
– aquele em que ela toma a bandeira
sacode a poeira da breve amargura
e faz vibrar na alma as armas doces
de todo o encanto e formosura 
na defesa ou conquista do amor 
fundamental de sua vida... 

Esse é o mais belo de todos.

Face a face, a alma de um homem 
que tem as portas e janelas abertas 
para o amor mais simples e fraterno,
sempre sabe quando esse momento 
o encontra... E talvez o faça eterno...

Andar pelo mundo de vida pronta 
e alma completa bem poderia ser, 
a despeito de todas as melancolias
das prontas filosofias de plantão, 
a maior e mais sábia recomendação 
para os que acreditam ser possível
viver com a cabeça nas estrelas 
e os pés no chão... 

E não é tão complicado assim 
caminhar num chão de estrelas... 

Afonso Estebanez

http://vita-gotasdepoesia.blogspot.com.br/search/label/A.%20Estebanez

                           Natureza e música (Som de passarinhos e cachoeira)